Com apenas cinco gols marcados, Social tem um dos piores ataques do Módulo II

Dos cinco gols do Social no campeonato, Eraldo marcou quatro. Foto: Igor Reis/Vale do Aço Esportes

Mais uma competição chegando ao fim e o tão sonhado acesso do Social à elite do futebol mineiro ficou pelo caminho. O time não conseguiu se encaixar na disputa do Módulo II do Campeonato Mineiro e ainda acumulou uma série de partidas sem marcar gols, deixando a equipe com um dos piores ataques da competição, juntamente com Guarani e Mamoré, ambos com cinco gols marcados.

Nas sete partidas disputadas (pois em duas foram somados os três pontos referente a desistência do Formiga), o Saci venceu apenas uma, na estreia contra o Tupynambás, em Juiz de Fora, por 2 a 0, empatou três vezes e perdeu em três oportunidades.

Até o momento, restando apenas uma rodada para o fim do campeonato, o Social balançou as redes em apenas três oportunidades, tendo cinco gols marcados, quatro com Eraldo e um com Villela. Os gols saíram na vitória sobre o Tupynambás, por 2 a 0, em Juiz de Fora, com Villela e Eraldo, na derrota de 3 a 2, em casa, para o Betinense e no empate de 1 a 1, em casa, contra o Guarani, todos gols marcados por Eraldo.

Em quatro partidas, o time alvinegro passou em branco: Nacional, em casa; Guarani, em Divinópolis; Nacional, em Muriaé, e Betinense, na Arena do Jacaré.

Se por um lado o time tem um dos piores ataques, por outro o time correspondeu, apesar das derrotas, o time tem a segunda melhor defesa do campeonato, com seis gols sofridos. Porém, o que mais pesou no desempenho da equipe na competição foram os jogos em casa, dois empates e uma derrota, que culminou com a demissão do técnico Gian Rodrigues.

Agora, o Social enfrenta o Tupynambás, no sábado, às 16h, no Luisão, pela última rodada do hexagonal do Módulo II. O Baeta, atualmente ocupa a segunda colocação do Grupo A, com 19 pontos, e já está classificado para a próxima fase.

Comentários