Para Luan, união pode levar Galo ao topo

"Vim aqui ajudar o Galo a ser vitorioso, mais nada", diz Luan. Foto: Bruno Cantini

O atacante Luan acredita que a união do grupo alvinegro poderá levar o Atlético a conquistar títulos em 2017. De acordo com ele, o espírito coletivo tem que prevalecer.

“Estou aqui para ajudar. O Carlinhos já me conhece muito bem. O Roger, eu acho, assistiu alguns jogos meus, joguei contra, ele sabe o que eu posso dar para a equipe. O que ele escolher, não só eu, todos os atletas têm que respeitar. Não existe reserva e nem banco. É todo mundo junto e, se tiver essa mentalidade, acho que a gente pode chegar longe em todas as competições. E trabalhar, as coisas só acontecem trabalhando e não falando. Penso que o Atlético tem tudo para, novamente, brigar lá em cima”, disse o atacante, que comentou a possibilidade de atuar como volante.

“Para mim, é tranquilo porque, muitos não sabem, mas a minha origem mesmo, minha posição é volante. Desde quando jogava em Alagoas, jogava de volante, Campeonato Alagoano Sub-18, pelo Miguelense, que está na primeira do Alagoano, parabéns a eles. E, com o tempo, fui me adaptando, o treinador me colocava de meia, já joguei de lateral-direito improvisado, ponta direita. Então, onde ele me colocar e enquanto eu tiver pulmão e disposição para ajudar, vou ajudar. Sempre lembrando a minha frase, vim aqui ajudar o Galo a ser vitorioso, mais nada”, destacou.

Luan concluiu valorizando o trabalho realizado no ano passado, quando o Galo chegou longe em todas as competições. Segundo ele, o futebol brasileiro só valoriza o time que é campeão. “Ano passado, o Atlético disputou todas as competições, estava na ponta em todas. Um pouco de atenção e um detalhe que a gente poderia cuidar e não cuidou, e a gente perdeu a possibilidade de ser campeão, mas pés no chão. Nossa equipe é muito qualificada, jogadores de Seleção Brasileira. Então, a gente não fica com isso de favorito, de melhor elenco. A gente tem que provar dentro de campo que tem uma boa equipe, um bom elenco e grandes jogadores. Para mim, é dar os parabéns pelo campeonato que a gente fez no ano passado. Teve muitas lesões, mas chegamos no topo em todas. É difícil uma equipe disputar todas as competições e chegar, pena que não foi campeão porque, se fosse, a gente poderia melhor ser lembrado de uma forma melhor. Acho que o futebol brasileiro tem que reconhecer que, quando a equipe chega em todas, fez um bom trabalho de alguma forma”.

Comentários