Segundona do Mineiro pode ter apenas o Ipatinga como representante do Vale do Aço


A região do Vale do Aço Mineiro é uma grande formadora de atletas e apesar de não haver um investimento pesado no esporte profissional, as equipes se ajeitam como podem. Com isso, a última divisão do futebol mineiro, a Segundona, deve contar com apenas o Ipatinga Futebol Clube, representando a região nesta edição. Pois, o Novo Esporte ainda não definiu se participará e os times do Trio e Ideal encontram-se como inativos perante a Federação Mineira de Futebol (FMF).

O Tigre, que foi rebaixado para a Segunda Divisão ano passado, após ficar em último no Grupo B do Módulo II, é presença garantida na competição. Apesar das campanhas sem sucesso nos últimos anos, a informação que circula nos bastidores é que a equipe deverá montar um time com a qualidade para retornar ao Módulo II, contando o apoio financeiro da iniciativa privada, conforme dito pelo presidente do clube, Almir Azevedo. “Nos últimos anos, o Ipatinga nunca deixou de disputar as competições que tinha direito e este ano não será diferente. Vamos disputar a Segundo sim. Estamos buscando apoio, para montar um time competitivo e subir de divisão. Essa é a grande arrancada do clube, pois, mesmo com as dificuldades, já temos uma estrutura boa, com CT, futebol de base e feminino”, comentou o Almir Azevedo.

No fim do ano passado, a FMF divulgou uma lista de clubes inativos, no qual constava o Ideal Futebol Clube e o Trio Futebol Clube, ambos do Vale do Aço.

Segundo informações apuradas pelo Vale do Aço Esportes, para o Ideal retornar as competições oficiais, terá que quitar uma dívida de aproximadamente R$ 40 mil, com a entidade, após regularizar a sua ata de direção. O clube, que tem interesse em retornar as disputas oficiais, já está regularizando sua situação, conforme informado pelo coordenador de futebol, Pretinho da Matta. “Já estamos trabalhando na regularização do clube. Creio que até o mês de março esteja regularizado. Sobre a regularização com a FMF, o clube está negociando a dívida, para que possamos realizar um sonho, que é voltar a disputa dos campeonatos estaduais”, disse Pretinho.

Enquanto isso, o Novo Esporte, ainda permanece na indecisão de seu retorno a competição. Circula também a informação de que Novo Esporte e Ideal podem se juntar e formar um time forte na Segundona. O Vale do Aço Esportes entrou em contato com o presidente do Novo Esporte, João Chico, que foi curto ao explicar a situação do Quero-quero: “Ainda é cedo para pensar na Segundona” e sobre a possível parceria entre Novo Esporte e Ideal o dirigente disse apenas: “Estamos conversando”.

Já o Trio, outro clube inativo perante a FMF, terá pagar o valor do licenciamento anual por cada ano que ficou inativo, segundo, pagar a taxa prevista no Código Tributário da FMF, e, terceiro, requerer a reativação para a DCO, que irá oficializar ou não o retorno. O Vale do Aço Esportes tentou contato com o responsável pelo clube, mas não obteve êxito.

Deste modo, até o momento, apenas o Ipatinga Futebol Clube está com presença confirmada na competição, de acordo com sua diretoria.

 

Comentários