Após ser eliminado do Módulo II, Social recorrerá à justiça por erros de arbitragem

Na ocasião o Social foi derrotado por 1 a 0, com os resultados finais, caso a partida tivesse terminado empatada, o Saci estaria classificado para o hexagonal. Foto: Breno Mendes

Na última sexta-feira (31/3), a Comissão de arbitragem da Federação Mineira de Futebol – FMF enviou à diretoria do Social Futebol Clube a resposta em relação aos questionamentos feitos pelo presidente Chico Simões referente as ações da arbitragem na partida entre Nacional x Social, realizada em Muriaé, no dia 22 de março, pela oitava rodada do Módulo II do Campeonato Mineiro.

Na oportunidade, a diretoria do Social reclamou das atitudes do árbitro Leonardo Rodonto Pinto (FMF) que anulou um gol legítimo do Saci e não aceitou as irregularidades apontadas pelo seu auxiliar no momento do gol da equipe do Nacional.

Em seu relatório, a comissão usou como referência o vídeo da partida e assumiu que no lance do gol marcado por Eraldo, no início da partida, foi legítimo e não havia motivo para anulação, assumindo dessa forma que o Social foi prejudicado diretamente pela arbitragem.

Porém, no gol do Nacional, a comissão disse que não houve impedimento, mas no seu questionamento à comissão, o Presidente do Social não reclamou de impedimento e sim de uma falta de ataque feita pelos atacantes do Nacional e indicadas pelo auxiliar número um. Indicação que não foi aceita pelo árbitro da partida, que disse que assumiria a responsabilidade.

Diante do relatório enviado pela comissão, o assessoria do clube informou que: “o presidente do Social já irá acionar o departamento jurídico do clube, para que algo possa ser feito tendo em vista o prejuízo financeiro e moral que o clube teve por essa atitude”, pois segundo a agremiação houve influência direta da arbitragem no resultado, causando a eliminação na competição.

Cópia do documento enviado pela FMF ao Social.
Comentários