Técnica da Seleção Brasileira destaca a importância das categorias de base


A treinadora da seleção feminina, Emily Lima, esteve reunida com a coordenadora de futebol feminino da FPF, Aline Pellegrino, na sede da Federação Paulista de Futebol para conversar sobre melhorias na modalidade, assim como mais atenção para as categorias de base.

Na visita, realizada nessa quinta-feira, a treinadora valorizou a iniciativa e destacou a importância de dar maior atenção ao trabalho de base. “Precisamos pensar na base também para que a gente possa colher os frutos depois, senão a modalidade fica estacionada. Uma mudança aqui, outra ali e assim ir trabalhando para que a gente possa ver a modalidade cada dia melhor”, disse ressaltando ainda que é fundamental manter uma boa sintonia entre o trabalho em âmbito estadual e nacional.

“Tudo o que nós conversamos, acho que nunca tinha escutado em 20 anos de futebol feminino, então isso é um ganho muito grande. A Aline é uma pessoa que viveu a modalidade, as coisas boas e as dificuldades, e acredito que é em cima das dificuldades que se trabalha mais. O importante é trabalhar em harmonia, junto mesmo, cada um fazendo sua parte”, destacou.

Seleção Brasileira
Em dezembro, o Brasil conquistou o título do Torneio Internacional de Futebol Feminino pela sétima vez, em competição que marcou a estreia de Emily Lima no comando técnico. A treinadora fez uma avaliação positiva do início de trabalho com a seleção, em que já foi possível observar um novo ritmo de jogo. “A assimilação de metodologia de trabalho que as atletas tiveram em tão pouco tempo foi de grande importância para nós da comissão técnica, porque isso era algo que temíamos mesmo. Foram menos de dez dias para treinar e tentar colocar em prática na estreia o que nós vínhamos treinando”, disse Emily.

Mesmo com o saldo positivo, a treinadora ainda projeta muito trabalho pela frente. “Tivemos muitas coisas boas, mas ainda temos muito o que melhorar. Eu resumo os próximos passos com a palavra trabalho. Costumo dizer para as jogadoras que nós precisamos trabalhar juntas, mesmo não estando em convocação, e a partir daí as coisas vão acontecer naturalmente”, comentou.

Um dos destaques no grupo que disputou o Torneio Internacional foi a presença de algumas novidades na lista de convocadas, entre elas 11 atletas que atuam no futebol paulista, com destaque para o Audax, campeão da Copa do Brasil, que levou sete atletas à seleção. Emily explicou que a renovação é importante para o desenvolvimento da modalidade e indicou que dará continuidade no processo. “Isso é muito importante para a evolução da modalidade, esse é o nosso pensamento. Sabemos que temos muitas boas atletas, mas que nem sempre tinham oportunidades, por motivos diferentes. Daqui para frente continuaremos dando continuidade a esse processo de renovação, focaremos muito no Campeonato Paulista, que é a competição mais forte que temos no cenário estadual, além do Campeonato Brasileiro, com a Série A1 e A2”, disse.

Mulheres com espaço no comando
Primeira mulher a assumir o comando técnico da seleção brasileira, Emily Lima acredita que é uma questão de tempo até que mais mulheres comecem a ganhar esse espaço, especialmente se buscarem maior conhecimento. A treinadora usou como exemplo Michele Kanitz, que assumiu o comando do time Feminino da Ferroviária no ano passado. “Por ser mulher, enfrentaremos dificuldades todos os dias, mas precisamos mostrar que estamos prontas. A Michele Kanitz, da Ferroviária, por exemplo. Tive a oportunidade de conhecê-la em um curso que fizemos juntas no Uruguai e ela é uma menina preparada para atuar em qualquer equipe tanto do masculino quanto do feminino. É mais uma mulher chegando, e isso faz com que o nosso meio comece a ser visto de outra maneira com outras mulheres no comando técnico. A chave é se preparar, e isso é importante para todas nós”, finalizou.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Comentários