Uberabinha vence Usipa no Mineiro Juvenil e confusão toma conta das arquibancadas


Bernardo foi o autor do único gol da partida. Fotos: Igor Reis/Vale do Aço Esportes

Dentro de campo a bola rolou com muita disputa e respeito, no Lanari Jr, na partida entre Usipa e Uberabinha, pela 2ª rodada do Campeonato Mineiro Juvenil. O Uberabinha saiu vitorioso pelo placar de 1 a 0. Porém, nas arquibancadas, durante o segundo tempo, o clima fechou e os jogadores da categoria Infantil do Uberabinha foram agredidos por torcedores da Usipa e tiveram de se refugiar no ginásio, com a ajuda de seguranças do clube.

O JOGO
A partida começou pegada, com as equipes estudando o adversário e procurando penetração nas defesas que estavam bem postada no jogo.

A Usipa não conseguia encaixar a ligação entre meio de campo e ataque, a bola poucas vezes chegou no centroavante Paulo Augusto. Já o Uberaba chegava mais ao ataque, porém sem muita efetividade. Para chegar a meta adversária, a Usipa explorava mais as jogadas aéreas, principalmente em lances de bola parada, que eram defendidos por Matheus.

O único gol do jogo saiu nos acréscimos do primeiro tempo. Bernardo foi derrubado dentro da área, o árbitro Antônio Fernandes da Costa assinalou pênalti, o próprio jogador cobrou, Rychard quase defendeu, mas não teve jeito: 1 a 0 Uberabinha.

Na etapa final, a Usipa voltou a campo querendo o empate e quase saiu nos primeiros minutos, após cruzamento rasteiro pela esquerda, a bola ia chegando aos pés de Paulo Augusto, para concluir ao gol, mas Gomes se adiantou e afastou o perigo.

O jogo continuou bem travado, com os técnicos usando suas estratégias para conseguir o resultado.

CONFUSÃO NAS ARQUIBANCADAS
Porém, aos 14 minutos, uma cena lamentável tomou conta das arquibancadas. Os jogadores do Uberabinha, que jogaram na categoria Infantil, estavam na arquibancada assistindo o jogo do Juvenil e torcendo para seus companheiros de clube, quando foram hostilizados por alguns torcedores da Usipa, que estavam na charanga.

Com isso, os jogadores saíram do local e para evitar confusão, mas foram perseguidos até o no ginásio do clube, ao lado do campo. Quando aconteceram algumas agressões, como socos e joelhadas, de adultos em atletas. O fato só se estabilizou quando a interferência de seguranças da Usipa e integrantes das duas comissões técnicas interviram.

Quando os árbitros viram a confusão paralisaram, mas retomaram a partida novamente, por não causar interferência na partida em andamento.

Os membros da comissão técnica do Uberabinha acionaram a Polícia Militar, no momento da confusão. Aproximadamente meia hora depois, uma viatura compareceu no local para registro do boletim de ocorrência, mas o fato já estava apaziguado.

DESGASTE FÍSICO
Durante a confusão nas arquibancadas, a bola continuou rolando. A Usipa buscando o empate e o Uberabinha tentando segurar o placar. O sol forte contribuiu para aumentar o desgaste físico dos atletas, que praticamente se arrastavam em campo.

Devido as inúmeras paralisações, o árbitro sinalizou mais cinco minutos de acréscimos. O Uberabinha se fechou na defesa e conseguiu segurar a vitória por 1 a 0, a primeira no Campeonato Mineiro Juvenil

OS DOIS LADOS DA HISTÓRIA

Marcelo Matta, coordenador de Futebol do Uberabinha.

Segundo Marcelo Matta, coordenador de Futebol do Uberabinha, o time foi muito bem recebido na cidade pela Usipa e que o fato desgastante ocorreu por parte de torcedores do clube. “Eu estava assistindo o jogo, quando vi os atletas do Sub-15 correndo para o ginásio, sendo acuados. Fui lá ver o que era. Quando de repente apareceram alguns adultos acompanhados por alguns jovens, mas foram dois adultos que estavam na charanga quem promoveram a agressão. Na minha frente, eles começaram a dar joelhadas, socos e tapas na cara dos meninos. Pessoas como essas não deveriam frequentar um clube do gabarito da Usipa. Que destaco o carinho e a gratidão ao Dalton Pinheiro (Coordenador de futebol da Usipa) e a diretoria, que nos receberam muito bem”, disse Matta.

Esdras Marcos, torcedor da Usipa.

Ao fim do jogo, um torcedor que se identificou como Esdras Marcos, disse ser o proprietário dos instrumentos da bateria e deu sua versão de que a agressão não foi cometida por ninguém da charanga. “Estávamos torcendo e eles nos provocando, quando entramos tocando os tambores no local onde eles estavam. Nós não agredimos ninguém. Uma pessoa, que nem da torcida era, foi a que deu a porrada no jogador deles”, comentou o torcedor.

Após a confusão, os jogadores  das duas categorias do Uberabinha, que estavam alojados na Usipa, se alimentaram e retornaram para a cidade de Juiz de Fora.

.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários